Calçados de segurança para proteção do trabalhador rural

O agronegócio movimenta parte importante da economia brasileira, representando mais de 20% do PIB (Produto Interno Bruto). Engloba atividades de agricultura e pecuária, desde a produção no campo, até a chegada ao consumidor final.

Conforme dados do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), a população ocupada no agronegócio era de aproximadamente 18 milhões de pessoas no primeiro semestre de 2020.

RISCOS

Entre os riscos ocupacionais aos quais estão expostos esses milhões de trabalhadores rurais, constam os químicos, físicos, biológicos, mecânicos e ergonômicos, que podem causar acidentes ou doenças ocupacionais.

O agronegócio abrange inúmeras atividades, que vão desde a limpeza e o preparo do solo ao plantio, manejo de cultura, colheita, beneficiamento, transporte e armazenamento, controle de pragas e doenças, tratamento das sementes e mudas, até a construção e manutenção de estradas, cercas, sistema de irrigação e drenagem, entre outros.

Para a execução desses serviços, são necessárias diversas máquinas, ferramentas, produtos químicos e inflamáveis, entre outros, que, quando não corretamente manipulados, podem causar acidentes ou comprometer a saúde do trabalhador rural. Os riscos são ainda maiores devido à crescente mecanização e automatização das atividades do campo.

NORMATIZAÇÃO

Nesses cenários, respeitar as exigências das normas regulamentadoras de Segurança e Saúde do Trabalho, com ênfase para a NR 31 (Segurança e Saúde no Trabalho na Agricultura, Pecuária, Silvicultura, Exploração Florestal e Aquicultura), é obrigação de fundamental importância.

A NR 31 estabelece as medidas de SST que devem ser implementadas, os requisitos necessários para proporcionar boas condições de trabalho e proteger a saúde e a integridade física dos trabalhadores, assim como as obrigações do empregador e do empregado.

EPIs

O uso de Equipamentos de Proteção Individual é uma das medidas obrigatórias no agronegócio. Os EPIs comumente usados pelos trabalhadores rurais são calçados de segurança, luvas, capacetes contra impactos, chapéus ou outras proteções contra sol, chuva e demais situações climáticas, protetores faciais contra respingos e inalação de produtos químicos, óculos contra a ação de produtos químicos, poeira ou pólen, protetores auriculares para atividades com ruídos e respiradores com filtros químicos, mecânicos ou combinados.

São diferentes os calçados de segurança direcionados ao trabalhador rural. Entre eles, estão as botas impermeáveis e antiderrapantes, para trabalhos em terrenos úmidos, lamacentos, encharcados ou com dejetos. Outra opção são as botas com biqueira reforçada, para trabalhos em que haja perigo de queda de materiais, objetos pesados e pisadas de animais.

Também estão disponíveis no mercado as botas com solado reforçado, para situações em que haja risco de perfuração, e as botas de cano longo ou as botinas com perneiras, para onde exista a presença de animais peçonhentos. Ainda há os calçados de segurança impermeáveis e resistentes, para trabalhos com produtos químicos, e os calçados fechados, para as demais atividades.

GARANTIA

Utilizar os EPIs corretos é essencial para garantir a segurança do trabalhador rural. Por isso, é importante a consulta ao fornecedor de confiança ou a um profissional de SST para determinar os principais riscos no agronegócio e quais equipamentos são necessários para prevenção de doenças e acidentes ocupacionais.

Além de investir em EPIs corretos e de qualidade, os empregados são responsáveis por conscientizar e capacitar seus empregados sobre como utilizá-los, higienizá-los e armazená-los adequadamente.

A Safetline tem em seu portifólio diferentes modelos de calçados profissionais desenvolvidos com todas as exigências e certificações necessárias para o trabalho seguro no setor rural.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Abrir Whatsapp
Podemos ajudar?
Olá, podemos te ajudar?